No AC, empresário monta 'food truck' de 'raspadinha' movido à energia solar

 

Ricardo Becker investiu R$ 55 mil para personalização de veículo. 
Bebiba é feita com frutas naturais e servidas em copos biodegradáveis.

Enquanto alguns reclamam do calor, outros enxergam as altas temperaturas como uma oportunidade para o empreendedorismo. Um exemplo é o corretor de móveis Ricardo Becker, de 49 anos. Após viagens para o Peru, país na fronteira com o Acre, ele e a esposa decidiram investir em um food truck de "raspadinha", uma bebida feita com gelo triturado e essência de frutas.

O diferencial do projeto, segundo Becker, é a sustentabilidade - já que os copos utilizados são feitos com material biodegradável e o veículo usado possui uma placa solar que dá autonomia de até dois dias - como todos os aparelhos de refrigeração ligados - para que o food truck circule por Rio Branco.

 

Todo o investimento, desde a compra do veículo e personalização de aparelhos feita com aço inox para preservar a higiene dos produtos, custou aproximadamente R$ 55 mil e a ideia foi lançada na última edição da feira agropecuária Expoacre.

Beck explica que apesar de ser uma moto adaptada, o veículo foi feito no estilo food truck, uma tendência, segundo ele, em vários estados do Brasil. Como existe há menos de um mês, o empresário alega que ainda não possui uma média dos lucros diários ou mensais.

"A 'raspadinha' tem tudo a ver com o clima de Rio Branco. O que queríamos era buscar características que atendessem as necessidades dos clientes, mas queríamos ser amigos da natureza. Por isso, decidimos projetar algo que não precisássemos de energia elétrica. Os copos são feito com material especial, então se a pessoa jogar em qualquer lugar, se for fora do lixo, ele se desintegra de 4 a 8 semanas", explica.

Sabores
Além disso, todos os sabores disponíveis: abacaxi, manga, uva, côco, maracujá, cupuaçu, hortelã e menta, são feitos a partir de frutas, sem uso de sabores artificiais. Por isso, o empresário conta, por exemplo, que teve dificuldades par a encontrar menta e decidiu fazer uma pequena plantação no próprio quintal.

Os preços variam de R$ 3 a R$ 8, e o cliente pode escolher até quatro sabores, dependendo do tamanho escolhido entre P, M, e G. Para não deixar a "raspadinha" tão cara, Becker conta que negociam as frutas e até os copos diretamente com os fornecedores.

"O produto já é conhecido, mas demos uma nova roupagem. Para definir os sabores escolhemos as frutas que conseguimos encontrar no supermercado, mas o abacaxi, cupuaçu e maracujá não temos problema para achar. Ainda não fizemos sabores de morango, pois a fruta está fora de época e fica cara, não queremos repassar para o cliente", destaca.

O estudante Lucas Dourado, de 18 anos, diz que o food truck chamou a atenção dele pelos detalhes na personalização e por isso decidiu experimentar junto com uma amiga. Eles provaram a "raspadinha" de maracujá e menta e gostaram tanto que decidiram voltar.

"O sabor maracujá é definitivamente o meu favorito. Já falei daqui para vários amigos, pois é um produto diferente e que ajuda muito a refrescar nesse calor do Acre", destaca.

Futuro
Após a grande procura pela 'raspadinha', Becker relata que pretende investir em outros 'food trucks' no mesmo estilo. A ideia, segundo ele, é se tornar uma franquia.

"Esse projeto é 100% acreano. É sustentável e deu muito certo. O grande diferencial é a autonomia do veículo, podemos ficar em vários pontos por um bom tempo sem ter problemas com os equipamentos. Nossa ideia é expandir", finaliza.

Fonte: http://g1.globo.com/ac/acre/noticia/2016/08/no-ac-empresario-monta-food-truck-de-raspadinha-movido-energia-solar.html